Suco Detox Pós Carnaval

Quarta-feira de cinzas e aquela sensação de inchaço, ressaca, cansaço, e fim de carnaval é triste. Por isso, é importante você já aproveitar para fazer aquele detox e colocar seu organismo nos eixos.

Como esse é um dia em que se inicia a quaresma, pode ser sua chance de começar eliminando a carne do cardápio temporariamente. Apostar em saladas e folhas verdes pode ajudar a dar mais leveza para o organismo.

Outra receitinha infalível para desintoxicar está nos sucos. Usando os ingredientes certos, é possível desinchar e ainda queimar os excessos da folia.

Suco Detox Poderoso

Esse suco pode ser tomado em jejum sempre que você sentir que exagerou. Com abacaxi, couve e gengibre, essa receita funciona como diurético, facilita a digestão, e ainda acelera o metabolismo.

Ingredientes: 

  • 1 abacaxi médio descascado, sem coroa e fatiado;
  • 2 folhas grandes de couve manteiga crua com talo;
  • ½ litro de água;
  • Rodelas de gengibre;
  • Suco de três limões.

Modo de Preparo: Bata tudo no liquidificador e tome sem coar.

Desintoxicando o Organismo

O abacaxi é uma fruta com muitos nutrientes, sendo rico em água. A hidratação é essencial principalmente depois de um período de alimentação desregrada e consumo de álcool.

Já a couve funciona como uma espécie de vassourinha para o estômago. Sua quantidade generosa de fibras faz com que as toxinas sejam liberadas mais facilmente. E o gengibre completa essa fórmula sendo o responsável por acelerar o metabolismo e aumentar a queima de calorias.

Quanto Tomar o Suco Detox

O ideal é iniciar seu dia já ingerindo o suco. Você também pode substituir uma refeição do dia por um copo, mas é interessante que seja sempre preparado na hora, para não perder seus nutrientes.

Você também deve cuidar da alimentação, o suco não faz milagres se você continuar comendo alimentos pesados e calóricos. A ideia é dar uma pausa para o seu organismo se recuperar e você precisa fazer sua parte para isso.

Barriga Solidária: Existe Barriga de Aluguel no Brasil?

Kim Kardashian teve seu terceiro filho há alguns dias e um detalhe chamou muita atenção nas últimas semanas; ela optou em ter o bebê através de uma barriga de aluguel. E para muita gente no Brasil ficou a dúvida, é possível fazer o mesmo por aqui?

Sim e não. Em solo brasileiro, o que existe é a possibilidade de uma Barriga Solidária. Na prática, isso significa que parentes do casal que deseja ter um filho podem oferecer o útero.

Entenda Como Funciona a Barriga Solidária

Funcionando de maneira diferente dos EUA, a gravidez gestada em outra barriga segue regras rígidas, entenda:

  • Aluguel: enquanto Kim pagou quase R$200 mil para a mulher que carregou seu filho, no Brasil essa situação é considerada crime. A doação/empréstimo do útero não pode ser uma relação comercial. O termo ‘útero de substituição’ é considerado o mais adequado, já que não se pode pagar pela gestação.

  • Parentesco: até 2013, a barriga só poderia ser oferecida em solidariedade por parentes de até segundo grau, justamente para evitar qualquer possibilidade de transações financeiras em troca da gravidez. Desde então, a regra passou a permitir que familiares de quarto grau, como tias e primas, também possam emprestar o útero.

  • Exceções: quando não existe vínculo familiar entre o casal que quer a barriga solidária, é preciso pedir autorização para o Conselho Federal de Medicina, responsável por regulamentar a prática.

  • Processo: o preparo do útero solidário começa antes da fertilização in vitro, com avaliações do útero, organismo, entre outros. Uma preparação psicológica também é considerada essencial, para que a doadora entenda a ausência de vínculos com o bebê.

  • Direitos: muita gente tem dúvidas sobre a possibilidade da doadora do útero requerer a guarda do bebê ou algo assim. No entanto, desde a decisão de ser barriga solidária, fica-se claro que a gestante não te qualquer direto sobre a criança, não podendo pedir custódia, nem nada.

Vale dizer que o a mãe biológica também precisa estar preparada para o processo, já que outra mulher estará vivendo sua gravidez. Ter ajuda especializada é essencial ainda antes de iniciar o processo.

Você Sabe o que é Plantar a Lua?

Nessa semana, a atriz Bianca Bin virou o centro de uma polêmica ao falar sobre um ritual envolvendo sangue menstrual. Você já ouviu falar em Plantar a Lua? Tem ideia do que se trata?

Para entender melhor o ritual que tem ganhado força entre algumas mulheres, é preciso entender que existem tradições que se perderam ao longo do tempo. Houve uma época em que o sangue da menstruação era considerado sagrado e poderoso. Assim, era comum colocá-lo na terra, ou devolvê-lo à terra.

Ciclo Natural

Atualmente, a menstruação é mais encarada como algo sujo. O que o ritual de Plantar a Lua propõe é tratar esse ciclo como natural e aproveitar o período do mês para realizar uma comunhão entre o corpo da mulher e o universo.

Incentivadora da prática, Bianca fala do ritual como um momento de gratidão e entendimento íntimo. “É uma forma de fechar o ciclo. Isso mudou minha relação com meu corpo e com me entender mulher. O universo é uma grande potência feminina e é com essa força que busco me conectar sempre”, explicou.

Como Plantar a Lua

O simbolismo de Plantar a Lua ainda traz muitas dúvidas, porém, o processo é bastante simples. A atriz utiliza o coletor menstrual e mistura seu sangue a um pouco de água antes de regar algumas plantas. O ritual exige um momento de silêncio e autoavaliação.

Quem é adepto do hábito pode tanto oferecer o sangue para uma única planta especial, quanto para um jardim. O importante do processo é conseguir a conexão entre a mente e a natureza.

Como já era esperado, a explicação e o incentivo de Bianca para o ritual gerou muita polêmica. Contudo, se trata de um processo íntimo que nada tem a ver com questões de higiene, passando principalmente pelas crenças de cada um.

Os Riscos de Cheirar Cacau

Quando a gente acha que não se pode inventar mais nada, eis que surge uma moda perigosa e estranha. Cheirar cacau é um hábito que está chegando nas baladas brasileiras e pode trazer mais danos do que se imagina.

Antes de qualquer coisa, é preciso explicar que ‘cheirar cacau‘ é exatamente isso que você está pensando. Ao invés de aspirar drogas convencionais, jovens têm usado o pó do cacau para conseguir um momento de êxtase semelhante.

Por que Cheirar Cacau?

Quando a gente imagina cacau, costuma ser em forma de chocolate. No entanto, descobriu-se que, em sua forma mais pura, o cacau possui endorfina e tirosina, substâncias anteriores à dopamina. Isso faz com que sejam produzidas sensações de bem estar – não é à toa que a gente ama chocolate facilmente.

Mais comum em baladas da Europa, este hábito está se popularizando aos poucos no Brasil. Mas se engana quem acha que é algo novo.

Pesquisas científicas já indicaram que civilizações antigas como a Maia e a Asteca utilizavam o cacau em rituais e cerimônias que buscavam bem estar e prazer.

Riscos de Cheirar Cacau

Apesar de parecer apenas estranho, a verdade é que aspirar cacau não é tão menor pior do que outras drogas. Por enquanto, são poucos os estudos sobre os efeitos desse hábito, mas todos indicam que a prática não é adequada.

Mesmo se tratando de uma substância natural, sua ação pode ser prejudicial ao organismo. Inicialmente, não existem casos de pessoas viciadas em cacau, existem propriedades que o transformam num potencial viciante, podendo ter efeitos no cérebro.

Outro ponto importante é que, para ter efeito, é preciso aumentar a quantidade de cacau aspirado. E a cada vez, o efeito dura menos, podendo levar à sensação de que se deve consumir mais e mais, devendo existir um grande cuidado em seu uso. Se possível, evitando ao máximo.

Dezembro Vermelho: 5 Fatos Importantes Sobre o HIV

Desde o ano passado, o Dezembro Vermelho se tornou oficial no Brasil. O último mês do ano é dedicado à prevenção ao HIV.

Longe de ser uma sentença de morte como há alguns anos, o HIV e a AIDS continuam não tendo cura. Isso significa que a prevenção ainda é o melhor caminho.

Confira a seguir 5 Fatos Importantes que você precisa saber sobre a doença:

  • AIDS: ter o vírus HIV não significa necessariamente desenvolver AIDS. Quem é contaminado com o vírus pode demorar ou nunca desenvolver a doença. Assim, uma pessoa soropositiva pode ter uma qualidade de vida igual a de quem nunca se infectou.

  • Sintomas: um risco da AIDS é que seus sintomas são muito parecidas com o de uma gripe. Como o vírus ataca o sistema imunológico, a pessoa infectada pode sentir febre, mal estar, entre outros.

  • Exame: se uma pessoa é exposta ao vírus HIV, pode demorar algumas semanas até que o exame comprove que a pessoa é soropositiva. Por isso, é importante fazer o exame regularmente.

  • Grupo de Risco: no começo da epidemia de HIV, existiam grupos de risco, considerados mais passíveis de pegarem o vírus. Atualmente, porém, isso não existe mais. O Ministério da Saúde determinou que como a doença se espalha em diferentes indivíduos, o que existe é comportamento de risco.

  • Prevenção: não adianta, o preservativo ainda é o grande aliado na prevenção contra a AIDS. Embora a incidência de novos casos tenha diminuído, ainda é essencial se preservar. E isso vale também para casais que oficializaram a união.

Para encerrar, vale reforçar que soropositivos podem ter uma vida normal. Com alguns cuidados, é possível inclusive ter filhos sem o vírus.