Identificando a Gastrite

Dicas_GastriteEstar atento aos sinais dados pelo seu corpo é sempre muito importante. Muitas vezes, aquele incômodo após as refeições pode ser mais sério do que parece. Uma prova disso é que muita gente demora a descobrir que tem gastrite, adiando assim o tratamento.

Cada vez mais comum, esta doença pode estar associada ao abuso de álcool, alimentação inadequada, cigarro, presença da H. Pylori no estômago, ansiedade e estresse, e alguns medicamentos como antiinflamatórios. Ou seja, como são muitos os motivadores, é importante cuidar minuciosamente de sua rotina, não deixando para depois quando estiver sentindo alguma coisa.

Também vale dizer que o estresse, nervosismo e ansiedade podem não apenas causar a gastrite como também agravar a doença, sendo fundamental acabar como aquilo que está te deixando preocupado.

Sintomas para Identificação

Alguns sintomas auxiliam na identificação desse problema, como indigestão, gases, enjôo, dor de cabeça, arroto e vômito ou ânsia, desconforto na área abdominal, dor na região abdominal superior, e falta de apetite.

Os sintomas aparecem, particularmente, depois da refeição com duração possível de horas, mesmo com uso de remédios que podem agravar os sinais. Já os sintomas da gastrite nervosa são iguais, porém com manifestação particular em situação de ansiedade e estresse.

Os sinais da gastrite leve são resumidos pela dor no estômago depois da alimentação, em especial para itens gordurosos, picantes, ou refrigerantes e bebidas com álcool.

O diagnóstico do problema acontece com solicitação do exame médico da endoscopia digestiva para notar a inflamação, ou feridas pelo estômago. As causas da doença são diversas, porém com tratamento ideal há chance grande para curar-se.

Complicações

Quando não há tratamento adequado, as complicações da doença são sérias, como a úlcera gástrica. Trata-se de uma ferida no estômago com dor intensa, fezes escuras e vômito contendo sangue.

Outra complicação é o câncer de estômago pela ação do ácido estomacal no tecido do estômago, com alterações nas células. A recomendação é nunca demorar a ir a uma consulta médica, evitando complicações graves para a saúde, com tratamento ideal e médico gastroenterologista.

Tratamento da Doença

O tratamento adequado pode ser realizado com protetor gástrico, ou supressor do suco gástrico, sendo um exemplo o Omeprazol, de 20 a 40 mg diariamente. Ou com mudanças na alimentação, em dieta voltada para gastrite e úlcera, pobre em vegetal cru, itens gordurosos, picantes, ácidos, e que apresentem fermentação no estômago como o pão.

Outra forma para tratar a gastrite é com uso de antibióticos, durante 7, 10 ou até mesmo 14 dias, eliminando a bactéria H. Pylori se há presença da mesma. Um método natural é ingerir todos os dias, o chá ou cápsula de espinheira santa.

Alimentação Aliada

A alimentação é fundamental no tratamento da gastrite, com reestruturação, e eliminação dos itens gordurosos, cheios de molho e condimentados. Os alimentos mais simples devem ser escolhidos, grelhados e cozidos. Itens fibrosos ou crus devem ser eliminados, pois exigem trabalho grande do estômago. Se alimentar bem também vai fazer com que você perca peso, o que pode fazer toda diferença no seu metabolismo também.

Dessa forma, não hesite em mudar seus hábitos alimentares ainda antes do aparecimento da gastrite. Isso pode prevenir qualquer sofrimento que você possa ter mais tarde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *