Sal Rosa do Himalaia: Herói ou Vilão?

Assim como na moda, de tempos em tempos surge aquela moda também na dieta. E o grande queridinho do momento é o Sal Rosa do Himalaia. O problema é que este alimento tem sido tão criticado quanto adorado. Afinal, será que é um herói ou vilão da nossa alimentação?

Chamado também de sal gourmet, o sal rosa do himalaia é apontado como uma opção mais saudável ao sal convencional. Entenda melhor os pontos positivos e negativos:

  • Nutrientes: o sal rosa possui cerca de 85 minerais, o que é apontado como seu grande ponto forte, além do fato de não ser refinado. Contudo, tais nutrientes, como cálcio, potássio e ferro, também estão presentes no sal marinho. E outros elementos aparecem em quantidade irrelevantes.

  • Sódio: o excesso de sódio é o grande vilão da nossa alimentação, favorecendo o aumento da pressão arterial, causando inchaço, entre outros. No entando, a quantidade de sódio no sal refinado é de cerca de 400mg, sendo que no sal rosa, está em torno de 350 a 300 mg, diferença muito pequena.

  • Preço: um quilo de sal convencional não passa de R$5, enquanto o sal rosa do himalaia pode custar até mais do que 40 reais. A diferença é muito grande para poucos ou nenhum benefício.

  • Alimentos: tem surgido também alimentos salgados com sal rosa, prometendo ser mais saudáveis. Entretanto, é preciso avaliar os rótulos para analisar se os demais ingredientes também não são refinados e com presença de conservantes. Isso é mais relevante do que o sal.

  • Quantidade: o grande problema da alimentação brasileira não está na qualidade do sal, mas na quantidade utilizada. A Organização Mundial da Saúde recomenda uma quantia de até 10g por dia por pessoa e a maioria das pessoas consome o dobro disso.

Se utilizar o sal rosa do himalaia te faz ter uma melhor consciência do que está colocando no prato, pode considerá-lo um aliado. Agora, se está confiando apenas nele para conquistar mais saúde, é hora de repensar seus hábitos alimentares, já que rosa ou não, apenas o sal não vai fazer milagres.

Consumo de Carne Atrapalha o Nosso Humor?

Semana passada, o ator Dado Dolabella, conhecido por ter agredido Luana Piovani, resolveu dizer que o consumo de carne vermelha foi um dos responsáveis por seus erros. Vegano, ele acredita que sua vida mudou depois que passou a comer apenas vegetais. Mas, será que é isso mesmo?

É bem verdade que o consumo de carne vem sendo muito atacado nos últimos tempos, contudo, suas proteínas são consideradas essenciais para o corpo humano. Para a maioria dos nutricionistas, não existe um substituto que possa garantir ao organismo a mesma quantidade de nutrientes, por isso, é importante fazer um acompanhamento na hora de aderir ao veganismo.

Dito isso, confira os verdadeiros malefícios que a carne pode causar:
  • Doenças: o problema não está necessariamente no consumo de carne, mas sim na qualidade desta carne. Estudos já comprovaram que carnes orgânicas são mais benéficas para o organismo. As que são muito processadas podem aumentar as chances de desenvolver doenças cardiovasculares e câncer.

  • Colesterol: a carne magra é considerada sempre a melhor opção. Os cortes com mais gordura possuem uma quantidade maior de gordura saturada, que aumenta os níveis de colesterol, eleve a pressão arterial e pode conter compostos carcinogênicos.

  • Humor: segundo Dado, o peso da violência por trás da preparação e criação dos animais tornava sua alimentação mais pesada, alterando seu humor e atitudes. Não existe qualquer comprovação científica a esse respeito. No máximo, o que pode acontecer é uma situação de peso na consciência para quem é defensor dos animais.

Claro que, vale dizer, nossa mente possui uma grande influência no nosso bem estar físico. Contudo, creditar erros e violências ao consumo de carne pode ser uma irresponsabilidade.

Para quem não aprova o consumo de carne vermelha, o ideal é sempre se informar ao máximo para substituir corretamente os nutrientes e investir em conhecimento sobre o assunto, para não repassar informações equivocadas.

Você Sabe O Que é o Método BLW?

Se você não tem filho pequeno, talvez nunca tenha ouvido falar do Método BLW. A sigla significa baby leading weaning que, em português, seria algo como desmame liderado pelo bebê. Ou, uma nova maneira de introduzir a alimentação para as crianças acima de 6 meses.

Inicialmente, se acreditava que após o período de amamentação exclusiva, o bebê deveria iniciar sua alimentação com papinhas e sopas. No entanto, uma consultora em saúde americana, chamada Gill Rapley, desenvolveu uma nova maneira de iniciar a dieta sólida dos pequenos. Foi assim que nasceu a BLW.

Entenda melhor como funciona:

  • Liderança: o objetivo do BLW é que o bebê seja o principal responsável pela sua própria alimentação. Na prática, isso significa deixar de lado as colheres e brincadeiras de aviãozinho para permitir que a criança coma com as mãos, no seu próprio ritmo.

  • Alimentos: além de permitir que o bebê se alimente sozinho, esse método acredita que a criança deve ter liberdade para escolher seus alimentos sozinho. Assim, a refeição deve ser feita junto com os pais, deixando tudo ao alcance do bebê, para que experimente conforme sua vontade.

  • Mecanismo de Defesa: claro que ninguém deve deixar um torresmo, por exemplo, ao alcance da criança. No entanto, a criadora do método alerta que o bebê cria seu próprio mecanismo de defesa aos poucos. Basta perceber como os pequenos costumam tirar pedaços grandes de comida da boca sozinhos. Eles sabem que não vão conseguir engolir.

  • Cuidados: apesar de incentivar a liberdade de alimentação do bebê, é essencial ficar próximo a ele durante todo o processo. Deixar os pedaços de comida em um tamanho seguro é muito importante, assim como evitar alimentos muito pequenos, como pipoca.

  • Especialistas: a opinião dos médicos e nutricionistas sobre o método ainda é bem dividida. A maioria acredita que o ideal é que o BLW seja apenas parte da alimentação, já que existe o risco do bebê não consumir a quantidade de nutrientes que necessita.

Por enquanto, o método BLW ainda não é muito popular no Brasil, gerando ainda controvérsias. Por isso, é importante que você converse com o pediatra antes de introduzir esse tipo de alimentação ao bebê.

Top 10 Piores Alimentos Para o Coração (Parte 2)

É muito comum só se preocupar com a alimentação quando se fala em perder peso, no entanto, a prioridade precisa ser para a saúde, em especial a do coração. Infelizmente, isso significa cortar bastante coisa que comemos regularmente.

Você já aprendeu sobre 5 alimentos que precisamos evitar, e a lista continua. Veja o que mais você precisa eliminar ou reduzir na sua vida alimentar:

Piores Alimentos Para o Coração

  • Cereais com Açúcar: mesmo os alimentos que prometem ser saudáveis podem ser perigosos. Comer carboidrato e açúcar refinado pela manhã vai causar inflamação e aumentar sua taxa de glicose, então você vai sentir fome o dia todo. Os sucrilhos precisam ser os mais naturais possíveis.

  • Bolachas e Cookies: a maioria das bolachas, biscoitos e cookies contêm uma imensa quantidade de açúcar. Prefira preparar suas receitas em casa mesmo, com ingredientes mais saudáveis e evitando o açúcar branco.

  • Margarina: existe um ditado que diz que só falta uma molécula para a margarina virar plástico, então já dá pra notar que não se trata de um alimento que faz bem para a sua saúde. Não precisa eliminar completamente, mas procure as fórmulas que fazem menos mal.

  • Pizza: a quantidade de sódio presente em uma pizza pode ser assustadora, por isso, precisa ser consumida com muita moderação. Existem receitas caseiras muito boas que te ajudam a controlar a adição de sal, para o caso de não conseguir viver sem.

  • Refrigerante Diet: esqueça os refrigerantes da sua vida. Sério, nem light, nem diet, nem normal. A quantidade de sódio presente nos refris são imensas. Além disso, os refrigerantes diet tendem a compensar a falta de açúcar com outros conservantes e aditivos.

Para encerrar, vale dizer que você não precisa cortar tudo que você gosta da sua vida, mas é interessante que você tenha equilíbrio nas suas refeições. Prefira sempre cozinhar em casa e evitar os industrializados. Só isso já vai fazer uma grande diferença na sua vida.

 

Top 10 Piores Alimentos Para o Coração (Parte 1)

Para uma vida saudável, não adianta, a alimentação precisa ser equilibrada. E isso significa reduzir ao máximo os alimentos que fazem mal para o organismo, especialmente aquilo que prejudica o coração e o sistema cardiovascular.

Claro que a gente sabe que não dá pra evitar tudo o tempo todo, porém, é possível diminuir aqueles alimentos que não acrescentam nada. Isso vai fazer uma imensa diferença na sua saúde e bem estar.

Confira a seguir uma lista com os 10 piores alimentos para a saúde do coração e comece a retirá-los da sua vida alimentar desde já:

Piores Alimentos Para o Coração

  • Hambúrguer Industrializado: consumida em quantidade adequada, a carne pode trazer benefícios, porém, o excesso de gordura saturada, especialmente quando combinada com carboidrato possuem um grande efeito negativo para o organismo.

  • Carne Processada e Embutidos: esses alimentos costuma conter uma imensa quantidade de gordura saturada, e mesmo as versões mais leves possuem um grande problema: o excesso de sal. Esse sódio influencia diretamente na pressão arterial, podendo causar hipertensão.

  • Fritura em Imersão: muitos estudos têm relacionado as frituras em imersão, como batata e frango frito, ao aumento do risco de infarto e doenças do coração. Os métodos tradicionais de fritura criam gordura trans, que aumentam o colesterol ruim.

  • Doces: por muitos anos, a gordura foi apontada como a principal causa de ataque cardíaco, no entanto, estudos recentes têm apontado o açúcar como grande responsável por doenças do coração. Dietas com muito açúcar adicionado, com doces, contribuem para obesidade, inflamação, colesterol alto e diabetes, aumentando o risco de infarto.

  • Refrigerante e Sucos Industrializados: para a maioria das pessoas, a maior ingestão de açúcar não vem da alimentação, mas das bebidas consumidas. Uma pesquisa realizada nos EUA indicou que 64% da população toma pelo menos 1 porção de refrigerante ou suco industrializados diariamente, número considerado bastante alto.

Como você pode notar, os alimentos prejudiciais são os industrializados, então os mais naturais devem ser sempre a prioridade na suas refeições. Na próxima sexta-feira, você confere quais são os outros 5 alimentos que você deve evitar.